Talibã no poder: Retrocesso para as mulheres

O grupo extremista usa uma versão completamente distorcida da Sharia, uma lei islâmica, como justificativa para as atrocidades que são empostas e feitas contra as mulheres.

Por: Gabriela Sousa

Talibã, o que está acontecendo e o que pode mudar para as mulheres:

O Talibã surgiu na fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão no final da década de 1980 como um grupo armado, período em que o Afeganistão estava sob ocupação soviética (1979 à 1989), reunindo pashtuns (maioria étnica da população afegã) que resistiam à presença soviética no Afeganistão, e o governo paquistanês esteve diretamente envolvido na fundação e fortalecimento do Talibã. Islamabad também deu apoio ao movimento radical.

O Talibã chegou ao poder em 1996, depois de vencer na guerra civil e instaurou um governo de terror, impondo a Sharia e começando a opressão contra as mulheres, perseguindo minorias étnicas, promovendo expurgos e implodindo as estátuas dos Budas de Bamiyan, patrimônio da humanidade.

Tiveram muitas reviravoltas, o Talibã foi derrotado em 2001 depois dos ataques de 11 de setembro, se reagrupou, voltou aos combates, até chegar onde chegou, no dia 15 de agosto de 2021 o Talibã toma o controle do Afeganistão

O que está acontecendo nesse momento no Afeganistão é uma crise política, econômica e religiosa, por conta de interesses estadunidenses em derrubar a expansão soviética no país, fortalecendo grupos conservadores que não queriam a supressão do Islã

Desde a tomada de controle pelo Talibã no último domingo pelo veterano mujahedin e líder religioso Hibatullah Akhundzada , a situação é assustadora para todos, mas precisamos destacas como isso é extremamente mais perigoso e mais delicado quando se trata da vida das mulheres afegãs. O grupo extremista usa uma versão completamente distorcida da Sharia, uma lei islâmica, como justificativa para as atrocidades que são empostas e feitas contra as mulheres. Vamos falar sobre algumas restrições que são impostas pelo Talibã

No total são 29 restrições contra as mulheres, restrições impostas pelo governo talibã no Afeganistão, algumas delas são:

  • As mulheres afegãs são proibidas de trabalhar, existia a proibição total do trabalho feminino fora de casa. Apenas algumas médicas e enfermeiras tinham permissão para trabalhar em alguns hospitais de Cabul (capital do Afeganistão).
  • Proibidas de fazer qualquer tipo de atividade fora de casa, as mulheres só podem sair na companhia do seu marido ou algum familiar masculino como pai, avô;
  • São proibidas de realizar qualquer tipo de negócio com comerciantes do sexo masculino;
  • Proibidas de serem tratadas por médicos homens;
  • Proibidas de estudar, as meninas e mulheres a partir dos 12 anos devem parar de estudar e diversas escolas foram destruídas e meninas que iam para a escola foram mortas. Aliás, a Malala Yousafzai, foi uma das vítimas do Talibã, em 2012 Malala levou um tiro enquanto ia para a escola;
  • As mulheres são obrigadas a usar burca que cobre da cabeça aos pés;
  • Proibidas de rir em voz alta, os talibãs consideravam que ninguém estranho à mulher poderia ouvir a sua voz.
  • Proibidas de usarem saltos ou qualquer calçado que faça sons ao caminhar, pois os homens não podem ouvir os passos das mulheres;
  • Proibidas de usar roupas de cores vivas, pois para os talibãs, as cores vivas eram consideradas “cores sexualmente atraentes”.
  • Proibidas de usar calças largas, mesmo que fossem usadas por baixo da burca, as calças largas continuavam a ser proibidas.
  • É proibida a presença feminina na rádio, televisão ou reuniões públicas de qualquer natureza.

As mulheres que quebrarem as regras são humilhadas chicoteadas, espancadas e vítimas de abusos verbal.

Além de tudo isso que foi citado, as mulheres são forçadas a casar e ao estupro. Em julho, após o dominarem duas religiões, o Talibã exigiu aos líderes religiosos que providenciassem uma lista de meninas cima dos 15 anos e de viúvas abaixo de 45 anos para casarem com guerrilheiros do grupo, fazer as mulheres de escravas sexuais também é comum para eles.

Depois do Talibã tomar o poder do Afeganistão, o líder do grupo extremista diz que a partir de agora será diferente para as mulheres. Porém isso é uma estratégia para conseguir fazer negócios com outros países que não aprovam a violação aos direitos humanos.

Esse peso da tomada do poder do Talibã é uma tragédia para milhares de famílias, mas que lembremos que essa situação cai de forma avassaladora e destruidora para as mulheres, pois, uma mulher com formação, que trabalha e tenha a sua própria independência e liberdade, pouco importa ao Talibã, a proposta é que as mulheres sejam objetos de interesse masculino e que não existam coimo indivíduos normais.

As mulheres talibãs correm perigo e precisamos olhar diretamente para as mulheres.