Referência na Rua Augusta, Clube Outs retorna após um ano e oito meses

Após um ano e oito meses o Estado de São Paulo entra em uma nova fase na Pandemia, apesar de alguns insistirem que a liberação do horário de funcionamento e o fim de algumas restrições significa o fim da maior crise sanitária que se tem notícia na história moderna, isso é apenas um passo e para muitos comerciantes, um fôlego depois de um período de incertezas e dificuldades.

Uma das casas mais tradicionais do centro de São Paulo, também volta com as festas a partir do próximo dia 01/11, o Clube Outs, localizado na Rua Augusta é referência no que diz respeito a cena Alternativa Paulistana. Conhecida por abrir as portas para inúmeros artistas e bandas, ao logo dos seus mais de 18 anos ininterruptos a casa esteve em constantes mudanças, se adaptando ao tempo, mas sem nunca perder a essência.

O proprietário e fundador do Clube Outs Edu Ramos falou sobre os desafios que a casa enfrentou durante o período de restrição e quais as expectativas para o setor nos próximos meses.

Sabemos que a pandemia afetou todo o setor de bares e casas noturnas, falando do Clube Outs especificamente, quais foram os principais desafios neste período de restrição?

Edu Ramos : O maior desafio foi permanecer vivo, já que o setor cultural e de eventos não teve durante muito tempo qualquer ajuda ou subsídio governamental, seja no âmbito federal ou estadual. Conseguir crédito foi outro desafio também, praticamente impossível durante o período. Tivemos que nos reinventar, renegociar contratos e a todo momento procurar alternativas (muito embora para um clube isso seja muito complicado, já que o consumo em si é intrinsicamente ligado ao serviço que oferecemos). Todas as pessoas que conheço que trabalham no setor tem histórias de dificuldades tremendas. A grande maioria não conseguiu.

Qualquer a expectativa para a volta do Open Bar no dia 01/11

Edu Ramos: A expectativa é das melhores, mas com cautela. É um período de adaptação e transição. E ainda há toda preocupação com o controle da pandemia. É seguir os protocolos de orientação e sentir como a coisa vai ser em relação ao próprio comportamento do público. Mas é inegável que estamos ansiosos.

Você acredita que o setor em geral está preparado para enfrentar essa a nova fase? E como lidar com a possível desconfiança e insegurança do público?

Edu Ramos: Creio que o setor saberá lidar com a grande expectativa do retorno. Com o avanço da vacinação no Estado já percebemos o público muito mais aberto a frequentar novamente os bares e clubes. O cartão vacinação é essencial também, tanto para nossa segurança quanto para a do próprio frequentador, além do uso de máscara mantido durante a transição. Eu creio que o país precisa enxergar com os próprios olhos o retorno a “normalidade”. É preciso estudos específicos sobre a nossa realidade para que possamos traçar estratégias legítimas a curto, médio e longo prazo. É preciso clareza por parte do poder público e é preciso também que o setor não seja estigmatizado.

Quais são as perspectivas e desafios que virão pela frente após o dia 01/11?

Edu Ramos: A perspectiva é de que aos poucos possamos novamente ser o que sempre fomos: parte essencial da cultura e da vida noturna da cidade. A vida noturna de SP é uma das mais ricas em diversidade no mundo, a Rua Augusta é referência cultural dentro e fora do País. É preciso que a prefeitura valorize isso, já que somos parte (e muitas vezes a vanguarda) de todo um modelo de renovação de determinadas áreas da cidade onde o investimento público e privado estava esquecido há anos. Somos um setor que impulsiona o turismo, o lazer, a arte. E é preciso expandir isso para que cada vez mais pessoas tenham acesso. O maior desafio está aí.

Atravessar a crise econômica mais grave da nossa história, e mesmo com todas as dificuldades, ainda sim conseguir se manter aberto é uma vitória não só para os donos e frequentadores da casa, mas também para todo um setor de bares e casas noturnas, que parecia estar respirando por aparelhos, mas que a partir de novembro ganha uma sobrevida para tentar se reerguer e voltar a ser um dos pulmões que fazem viver a noite Paulistana.

O Clube Outs fica na Rua Augusta – 486 – Mais informações sobre horário, valores e promoções estão disponíveis nas redes sociais da casa

FacebookClube Outs

Istagram Clube Outs (@clubeouts) • Fotos e vídeos do Instagram