Após sete meses de pandemia, auxílio ao setor cultural começa a ser pago

Trabalhadores informais, espaços artísticos e cooperativas culturais receberão uma renda emergencial de R$ 600 por mês

Fonte: Revista Fórum

O governo federal começou a pagar o auxílio emergencial para artistas através da Lei Aldir Blanc, que destina R$ 3 bilhões para o setor da cultura. O início do pagamento ocorre pouco mais de sete meses após a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificar o coronavírus como uma pandemia.

De acordo com a medida, os trabalhadores informais, espaços artísticos e cooperativas culturais receberão uma renda emergencial de R$ 600, paga em três parcelas mensais. A proposta abrange artistas, produtores, técnicos, curadores, oficineiros e professores de escolas de arte.

Ao contrário do que foi declarado pelo governo Bolsonaro, apenas R$ 797 milhões teriam sido destinados ao auxílio dos artistas, segundo o UOL. O valor contemplaria até cinco parcelas do benefício para 265 mil pessoas.

Os critérios de seleção para a Lei Aldir Blanc são quase idênticos aos do auxílio emergencial e não é possível receber os dois. Com isso, a maioria dos artistas que poderia ganhar a ajuda já deve ter recebido, o que diminui a quantidade de pessoas que deverão ter acesso ao benefício.

O nome da lei é uma homenagem ao compositor Aldir Blanc, que morreu em maio em decorrência do coronavírus. Ele teve dificuldades para encontrar vaga até ser internado e a família chegou fazer uma campanha de arrecadação para cobrir despesas médicas do artista.